segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Grutas de Tolantongo - parte I

Terminando a saga Hidalgo de novembro do ano passado, aqui deixo algumas fotos e dicas para quem pensa, um dia, em conhecer as grutas de Tolantongo.
Eu particularmente gostei bastante do lugar, mesmo com tempo nublado e vento.
O lugar é como Guarujá mexicano. Lotado de gente. Tem hospedagem por preços bem acessíveis, tudo feito por ordem de chegada. Não fazem reserva por telefone, nem adianta. Não aceitam cartões de débito ou crédito e não há caixas eletrônicos no lugar. Tem que ir preparado mesmo. Tem informação sobre tudo isso no site deles: http://www.grutastolantongo.com.mx/
Além de hospedagem em quartos simples, muitos levam suas cabanas para acampar. Há a opção de alugar cabanas, edredons e várias outras coisas aí mesmo. Para aqueles despreparados e marinheiros de primeira viagem.
Nós ficamos hospedados numa cidadezinha próxima das grutas, chamada Ixmiquilpan. Bem simples e com opções para bolsos de classe média. Nada com muito luxo não.
Para chegar às grutas, da-lhe estrada de terra.

 A paisagem é magnífica.




Mas as curvinhas, com tanto barro...

Foi bem emocionante.

Chegando na entrada do Parque já te dão opção de compra de boletos para os dias que deseja ficar hospedado. Você tem que pagar logo antes de entrar com o carro. As entradas valem para a entrada nas Grutas e nas "pozas" que são piscinas que estão em outra seção do parque chamada "Paraíso Escondido".


Bom, a parte das grutas é bem bacana. Você tem que chegar já com roupa de banho colocada mesmo, senão vai ter que ficar carregando coisas até os lockers, pra se trocar é um caos de gente nos vestiários (eu me troquei lá e me arrependi). Você não pode levar nada além de toalha até a entrada da gruta. Aí os "guardas" avisam que "daqui em diante só "traje de banho e chinelos".








Na entrada abaixo você pode entrar em duas grutas diferentes. Tem sempre um guia controlando a entrada porque em uma delas o espaço e pequeno e você vai agarrado nas cordas para poder chegar até um poço de água bem quentinha. Tudo no escuro. Os guias as vezes acendem uma luz só pra você ter noção de onde está.
Na gruta maior você pode também ir agarrado em cordas até uns, quem sabe, 100m pra dentro e chega numa gruta enorme. A correnteza é forte. Quase perdi meus chinelos. Uma boa dica é comprar aqueles sapatos de água mesmo. E no caminho para as grutas você encontra gente vendendo de tudo.





2 comentários: